20
maio
10

The Byrds – Fifth Dimension (1966)

O ano é 66. O mesmo ano que o A Quick One, do The Who. E incrivelmente conhecido como o ano das capas pretas. Parece até que o mundo musical estava de luto. a cada dez discos, só quatro tinham uma capa que não fossem preta, e nos que fizerem sucesso ou marcaram época, eram todos pretos. Uma banda de rock country, bate suas violentas cordas de guitarras nesse ano…Essa banda, meus amigos, se chama The Byrds.

Gonna ride a lear jet, baby…Gonna ride a lear jet.
Um clássico do Pschy-Rock, com raíz de Jazz.

The Byrds – Fifth Dimension.

1-5D (Fifth Dimension):
-Essa, podemos dizer a mais fraca música desse disco, fala da outra dimensão, de um além, e de uma psicodelia que iria nascer, tanto pros Byrds para os Ingleses e Americanos em 67, no “verão do amor” (regado a drogas). Uma música maneira. De 0 a 10 ? 6,5

2-Wild Moutain Thyme:
-Aqui vemos a potência vocal do Byrds como banda: Perfeita. Com arranjos, e um baixo bem prostado a música, e uma melodia nostálgica, como que te levasse a algum lugar, te arrastando para o espírito de paz “country” da música. De 0 a 10 ? 7,25

3-Mr. Spaceman:
-Se você já ouviu S.O.S. do Raul Seixas, você não vai achar estranho. É um plágo fudido. A original, dos Byrds, muda um pouco em ritmo, melodia, e letra. Mais tem o mesmo intuito; Ir embora com o homem da espaçonave. Infelizmente, a do Raul ficou melhor, bem melhor. De 0 a 10 ? 6,75

4-I See You:
-Aqui vemos a potência das guitarras, a voz pura de Mc Guinn e David Crosby, e um dos milhares solos desconexos, porém fortes de uma guitarra ou com muito efeito, ou de 12 cordas. Meio dançante, com uma vertente Mod, essa música é bem a cara desse disco: Um experimento que deu certo. 7,75

5-What’s Happening ?!?!
-David Crosby, canta sozinho uma das mais bonitas músicas sobre pós-relacionamento. Fala sobre a mágoa e raiva de ser deixado, e sobre uma melodia “chavão” (Que quase todo mundo já usou), e um solo a cada final de verso, ele faz essa belíssima música, e como diria ele e um bêbado que ouve sempre essa música: Eu não estou chorando ! De 0 a 10 ? 8,5

6-I Come And Stand At Every Door:
-Aparentemente, uma história de um fantasma da Segunda Guerra Mundial. A melodia, de tão calma que é, chega até a assustar. Se ouves ela sozinho, na tua casa, em tudo escuro, você se caga. Ainda mais se você entender de inglês e ver a letra. “Ou eu estou morto, ou eu estou morto.”. Ponto pra criatividade dos caras. De 0 a 10 ? 8,0

7-Eight Miles High:
-O Clássico desse disco, é também a música mais tudo. Violenta, calma, psych, Mod, country, exp e etc…A música que fala de uma viagem rápida de lugar em lugar, feita em época de turnês, mostra a criatividade tanto na letra como no feedback da guitarra solada, fazendo dela uma obra-prima secular. Dizem línguas que justamente essa música inspirou Hendrix a escrever Night Bird Flying. Bem tenso. De 0 a 10 ? 9,25

8-Hey Joe (Where You Gonna Go):
-Sim, essa música não é do Hendrix, é de uma outra banda americana desconhecida, dessas de “Nuggetices”, e o Byrds regravou na pegada de Psych-Rock, tendo depois regravado Hendrix. Tem um belo solo e harmonia. De 0 a 10 ? 8,75

9-Captain Soul:
-Uma instrumental, com gaita, guitara de 12 cordas solando, e um baixo inquieto, querendo ganhar espaço da guitarr base, e a bateria fica junto da meia-lua, “conversando entre si”. Essa sim, como tantas outras do Byrds, são ótimas instrumentais, e não como aquelas merdas do Kenny G. De 0 a 10 ? 7,75

10-John Riley:
-AH SIM ! Um clássico da música folk inglesa, aqui regravado pelos Byrds, foi primeiro gravado pela “avó” do folk, Judy Collins entre 1959/1961. Falando da história de um marinheiro que volta depois de 7 anos de uma viagem marítima, a mais bela e linda música de amor inglesa, cheia de guitarras com efeitos, guitarra solada, potência vocal em coro, e baixo subliminar, formam uma das bandas que eu mais admiro e respeito: The Byrds. De 0 a 10 ? 10,0

11-2-4-2 Fox Trot (The Lear Jet Song):
-Uma música também feita nas épocas de viagem, bem psicodélica, mostra a criatividade dessa banda. Simulando um vôo, e as turbinas torrando seus tímpanos, você até se sente em um, só que do lado de fora. Uma das melhores músicas repetitivas que já vi. E, assim eles terminam um ótimo disco. De 0 a 10 ? 8,75

…E nós nos vemos no post seguinte, meu caro amigo.


3 Responses to “The Byrds – Fifth Dimension (1966)”


  1. 1 Pancho Villa
    maio 21, 2010 às 2:20 PM

    cara, tenho acompanhado…muito bom o blog…

    firme no projeto!

    • maio 22, 2010 às 7:41 PM

      Agradecido pela força. é uma honra escrever prum grande herói mejicano !

    • 3 marco tukoff
      setembro 21, 2013 às 1:52 AM

      Concordo, cara, e olha que eu tenho esse disco em vinil…


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Alfarrábios

maio 2010
S T Q Q S S D
    jun »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Assine nossas News !

Junte-se a 2 outros seguidores

Archivos !

Os 5 Mais.


%d blogueiros gostam disto: